Seletividade alimentar no Autismo não é frescura

by - fevereiro 03, 2018







Olá mãezinhas, hoje venho trazer pra vocês um assunto que dar muita dor de cabeça na maioria das mães com filhos autistas que é a Seletividade Alimentar. ouço com bastante frequência muitas mães falando algo como: o meu filho só come arroz ou meu filho só come coisas de apenas uma cor ou só come sopa e etc.


Pessoas com autismo frequentemente apresentam problemas com a alimentação. Para entender esses problemas, é preciso compreender a rigidez no pensamento e os distúrbios sensoriais, que são características do autismo. Isso quer dizer que a seletividade alimentar não é uma frescura. Muitas crianças que estão dentro do espectro apresentarão um paladar restrito, que pode se modificar com o tempo, mas que será sempre limitado.
  1. Rigidez e inflexibilidade – A criança come alguns poucos alimentos ou até somente uma opção. Recusa-se a experimentar algo novo e não faz suas refeições em local ou horário diferentes da sua rotina. Os alimentos também nunca podem estar misturados no prato. Qualquer alteração na sua rotina prejudica sua alimentação.
  2. Problemas no processamento sensorial – cheiros, cores, visual, texturas, pedaços grandes, temperatura… tudo pode estar interferindo na vontade da criança em aceitar se alimentar.
A seletividade pode estar direcionada a uma cor ou tipo de textura. Algumas vezes não encontramos uma regra ou especificação que a determine, a criança simplesmente não tem vontade de se alimentar. Fazem por obrigação ou por entenderem que realmente precisam. Para as famílias destas crianças, as refeições costumam ser momentos tensos e desafiadores. Uma verdadeira batalha diária.


Mas o que fazer?



• Se a criança recusar algum alimento, não desista de oferecê-lo novamente. Insista de diferentes formas. Em algum momento, provavelmente a criança irá aceitar prová-lo.
• Quando a restrição alimentar é mais severa, uma sugestão é acrescentar alimentos nutritivos de forma sutil e “escondida” nas receitas (quem nunca tacou uma fruta ou legume bem disfarçado em algum molho ou vitamina?).
• Outra sugestão importante: não caia na rotina! Crianças com TEA já são sistemáticas e rotineiras, se você oferecer sempre o mesmo alimento em cada refeição, isso pode fortalecer ainda mais esse padrão! Procure variar, por mais difícil que seja.
• Tenha uma exigência gradativa. Deixe a criança primeiro tocar o alimento, depois cheirar, lamber, dar uma pequena mordida, cuspir, começar tudo de novo, e assim por diante. Um passo de cada vez.
• Um clichê, mas que não deixa de ser importante: capriche na apresentação dos pratos. Seja criativo, use sua imaginação. Quanto mais atraente o prato, maior a chance de despertar interesse na criança.

(leia também como é o cansaço de uma mãe com filho autista)

Culinária criativa é uma ótima ideia

Muitas mães não conhece mas existe uma culinária criativa feita especialmente para crianças que tem seletividade alimentar. Essa culinária consiste em fazer desenhos com a comida dos nossos pimpolhos a seguir vou deixar algumas fotos pra inspirar você mãezinha.






















Fontes:


http://clubematerno.net/2016/06/07/o-autismo-e-a-seletividade-alimentar/

www.google.com/imagensdecomidacriativa

You May Also Like

0 Comments

Comentarios anônimos não serão aceitos