A triste realidade do Autismo e o sonho de cada mãe - Autismo entre mães

11 de fevereiro de 2018

A triste realidade do Autismo e o sonho de cada mãe





Hoje sai com o meu filho e ele não parou nem um instante. Tenho a mania de levar caderno e lápis pra o meu filho desenhar já que ele ama pintar e desenhar a tão amada casa do Mickey Mouse. Essa atividade deixa ele quieto um tempinho, mas ele logo começa a ficar inquieto, então quer correr, pular, falar alto, gritar, cantarolar sempre a mesma música, falar sozinho e etc e ai eu peço pra ele ficar mais quietinho pois quase sempre o lugar não é propício.
O que eu vejo com essa pequena história da minha realidade, vejo o quão triste é a realidade do autismo onde vivemos, não por ele ser autista mas sim porque a sociedade não sabe perceber se  uma criança é autista ou não. A situação é tão triste que nós muitas vezes tentamos adaptar os nossos filhos a realidade que dizemos entre aspas que é o normal, quando na realidade o mundo é quem deveria se adaptar ao diferente.
No mundo que vivemos hoje no Brasil, pessoas acham que todo autista tem retardo mental, que é um excluído que não quer conversar com ninguém, uma pessoa que não possui sentimentos, alguém impenetrável. A criança autista não pode se mover, pular, balançar as mãos, falar sozinha  livremente em  banco, supermercado, cinema, shopping e etc que as mães já mandam parar, mas alguém pode perguntar o por que que não se deixa a criança livre e eu respondo que é por causa do PRECONCEITO e olhares de pessoas que não conhecem o mundo do autismo. Culpa delas?? NÃO, a culpa é da falta de informação acerca do assunto. O sonho dessas mães é poder sair com os seus filhos livremente e não receber olhares horríveis e preconceituosos por causa das estereotipias do seu filho.
Sonho com o dia em que deixarei meu filho pular, gritar, balançar as mãos, falar frases repetitivas a vontade sem ser tachado como esquisito ou mau educado, sonho com o dia em que o ensino do autismo será obrigatório nas escolas e as pessoas quando virem um autista saberão detectar pelas suas características.
Você pode até dizer que estou louca e que isso é quase impossível de acontecer neste pais que vivemos hoje em que nem sempre existe inclusão, mas eu te digo, sonhar não é pecado, sonho pode se tornar realidade, então eu sonho com um lindo futuro melhor pra o meu anjo azul..

Por Adassa Teixeira ( Autismo entre mães)

Um comentário:

  1. Tenho dois filhos autista. Quando chego em qualquer lugar logo sou notada. Eles gritam e pulam. Os pescoços logo viram para ver quem é esse menino de grito forte e fino. Não é fácil mesmo.

    ResponderExcluir

Comentarios anônimos não serão aceitos